terça-feira, 1 de maio de 2007

Principais Doenças

Principais Doenças

O criador deve estar sempre atento à saúde dos animais. Um plantel sem os medicamentos necessários para o bom desenvolvimento das aves certamente não terá qualidade. Por isso, daremos aqui noções de como identificar e prevenir algumas das principais doenças.
CÓLERA
Nome genérico: Pasteureloses aviária Agente responsável:Pasteurella multocida ou Pasteurella avium Sintomas: Tristeza, depressão, falta de apetite, sonolência constante, febre alta e estado geral de fraqueza extrema. Apresenta diarréia verde amarelada, ás vezes, sanguinolenta. Coriza, conjuntivite, dispnéia, edemas de barbela e pouco antes de morrer podem aparecer síndromes epiletiformes. Como evitar: Eliminando com a queima as aves mortas ao plantel ou doentes. Cuidado ao introduzir novas aves ao plantel, pois as aves doentes transmitem facilmente a enfermidade através da água e dos alimentos. A introdução de novas aves no rebanho deve ser precedida de quarentena. Como tratar: O tratamento é feito com sulfas e antibióticos.

COMPLEXO LEUCÓTICO AVIÁRIO
Nome genérico: Neurolinfomatose ou doença de Marek Agente responsável: Oncovírus Sintomas: As aves atacadas pela doença apresentam como primeiro sintoma a dificuldade de locomoção, conhecida popularmente como passos curtos ou pernas presas. Quando a doença se agrava surgem paralisias das pernas e asas. O animal dobra as pernas quando está parado e não há coordenação de movimentos. A cabeça apresenta movimentos inquietos e posições estranhas. Cegueira e torcicolo. Como evitar: Aves estranhas, portadoras da moléstia, são as responsáveis pelo aparecimento da doença nos rebanhos. Portanto, é necessário impedir a entrada de aves desconhecidas nos lotes sadios. Sacrifique e queime os animais doentes e suspeitos. Faça o exame anual do rebanho através de um médico veterinário.Como tratar: Não há tratamento.

CORIZA INFECCIOSA
Nome genérico: Coriza bacilar, coriza cocobaciliforme e coriza infecciosa mista Agente responsável: Hemophilus gallinarum Sintomas: o corrimento nasal muco-purulento é o primeiro e mais característico sintoma. A mucosidade fica seca e obstrui as narinas, obrigando as aves a grandes esforços respiratórios. Apresentam conjuntivite, pálpebras fechadas, depressão, emagrecimento, diarréia, queda de postura, presença de crostas catarrais na boca e nas narinas e tosse, que o avicultor costuma chamar de "pigarra". Por fim, a ave apresenta morte por asfixia. Como evitar: As aves sãs não devem ter contato direto com animais doentes, objetos, alimentos, água ou pessoas contaminadas. A água contaminada com o corrimento nasal é o principal veiculo de transmissão. O isolamento dos animais doentes é a principal medida profilática. Desinfete permanentemente os aviários e seus pertences. Como tratar: Adicionando sulfas na água de bebida e na ração.

DIFTERIA OU BOUBA AVIÁRIA
Nome genérico: Difteria Agente responsável: Borreliota avium Sintomas: Tristeza, sonolência, penas eriçadas, exantema nodular da pele, principalmente nas regiões desprovidas de penas. Os nódulos pequenos e rosados a principio crescem rapidamente e transforma-se em verrugas isoladas ou aglutinadas, de superfície úmida e, alguns dias após, ressecadas. As formações nodulares se localizam principalmente nas cristas, barbelas, pálpebras, bico e nas membranas interdigitais dos palmípedes. As mucosas da boca, nariz, faringe e laringe podem ser alteradas por manchas pequenas e esbranquiçadas que se ulceram. Como evitar: Utilizando a vacinação preventiva nas aves e isolando os animais doentes em locais protegidos de mosquitos. Como tratar: Não há tratamento. Alguns veterinários utilizam antibióticos misturados à água, porém, o sucesso do medicamento vai depender da resistência da ave.

DOENÇA DE GUMBORO
Nome genérico: Doença infecciosa da bolsa de Fabrício Agente responsável: Reovirus Sintomas: Tristeza, depressão, falta de apetite e, conseqüentemente, morte por complicações secundárias pela destruição da bolsa. Como evitar: Através de vacinação preventiva. Como tratar: não há tratamento.

DOENCÁ DE NEWCASTLE
Nome genérico: Pneumoencefalite aviária Agente responsável: Vírus tortorfurens (Paramyxovirus) Sintomas: A ave apresenta distúrbios nervosos e respiratórios, catarro nasal, espirros e diarréias branco-amareladas, levando-a a morte. Como evitar: Vacinado as aves, mantendo a higiene nos aviários e desinfectando os viveiros e seus pertences. Como tratar: Não há tratamento.

PARATIFOSE OU PARATIFO
Nome genérico: Salmoneloses Agente responsável: Salmonella typhi Sintomas: Doenças aguda, corriqueira nos pássaros e pombos, eventualmente diagnosticada nos palmípedes e, raramente, em galinhas, perus e angolas. As aves, quando infectadas, morrem entre 24 e 48 horas após apresentarem tristeza, dispnéia, edemas nas articulações e nas asas. Os palmípedes podem apresentar também desordens nervosas, conjuntivite e edema na cabeça. Como evitar: A contaminação maior é apresentada pela ingestão de alimentos e água que contenham o germe fecal. Portanto, é desinfectando os aviários e seus acessórios e eliminando as aves portadoras da doença. Como tratar: Não há tratamento.

PSEUDOTUBERCULOSE
Nome genérico: Pseudotuberculose Agente responsável: Pasteurella pseudotuberculosis Sintomas: A infecção se processa por via digestiva e daí pela via linfática atingindo as vísceras. Os sintomas são emagrecimento progressivo, penas arrepiadas, asas e caudas caídas, pele amarelo-esbranquiçado, apetite reduzido, apatia, depressão e diarréia amarelo-esverdeada.Como evitar: Mantenha a higiene no plantel, tratando os animais com água e ração de boa qualidade e eliminando as aves contaminadas. Como tratar: Não há tratamento.

PULOROSE
Nome genérico: PuloroseAgente responsável: Salmonella gallinarum Sintomas: Os sintomas normalmente são detectados em aves jovens, sendo que o maior número de portadores é encontrado entre as fêmeas que apresentam diarréia pegajosa, branca ou amarelada, tristeza, perda de apetite, assa caídas, penas arrepiadas, apatia, olhos fechados e sonolência. Como evitar: Através do isolamento das aves portadoras da moléstia. Chocadeiras que incubam ovos de aves infectadas representam veiculo de contágio. Como tratar: Aplicação de sulfas na água de bebida e na ração.

TIFO
Nome genérico: Tifo aviário Agente responsável: Salmonella gallinarum Sintomas: As aves apresentam falta de apetite, sonolência, babem muita água, mantêm as penas eriçadas, andar trôpego, cristas e barbelas anêmicas, exudato nasal muco-purulento, dispnéia e diarréia amarelo-esverdeada. Às vésperas da morte os excrementos causam mau cheiro e tornam-se sanguinolentos. Como evitar: Manter a higiene nos aviários e fornecer alimentação adequada, pois a má alimentação pode provocar gastroenterites e facilitar a ação do germe. Os alimentos e a água de bebida contaminada por fezes ou mucosidades que contenham o germe são os principais veículos da moléstia. Evite o contato de aves sãs com aves doentes. Queime as aves mortas ou em estagio avançado. A desinfecção das instalações deve ser feita com água fervente adicionada de 10% de soca cáustica e formol a 2%.Como tratar: Sulfas misturadas na ração e na água de bebida e antibióticos.

TUBERCULOSE
Nome genérico: Tuberculose Agente responsável: Mycobacteryum avium Sintomas: Embora com apetite normal, a ave contaminada apresenta continuada perda de peso, músculos peitorais atrofiados, esterno saliente e deformado. Crista, barbela e lóbulos das orelhas acentuadamente pálidos. Algumas vezes podem apresentar diarréia e paralisias. O estado debilitante da ave a conduz à fraqueza até a morte, ocasião em que é comum o aparecimento de hemorragias, decorrentes de ruptura do fígado, do baço ou de ambos. Como evitar: Mantenha o isolamento dos animais infectados e a higiene no plantel. Como tratar: Isoniazida.

12 comentários:

Anônimo disse...

adikidcombate










rir uma ave

odr disse...

seus galos nao tem peso

Anônimo disse...

Como faço para adquirir um exemplar ou ovos do mesmo

Anônimo disse...

ou passa a formula do salva galo ai por favor meu msn é Dani_ata_157@hotmail.com passa por favor

daniel zappa disse...

adorei esse site. tbm sou criador de galos de combate. e apredi muitas coisas com vcs meu nome e daniel moro em santa catarina continuem assim um salve ai pra vcs vlw

Anônimo disse...

Quero saber mais sobre a raça bode inglês,tem algum conselho sobre isso?

Anônimo disse...

Quero saber mais sobre a raça bode inglês,tem algum conselho sobre isso?
meu orkut é josinaldo_paraiba@hotmail.com

Anônimo disse...

que doença faz com q o galo solte pus pelo ouvido e como tratar?

wellgton disse...

Gostaria q me envia-se a formula do salva galos,sou do extremo sul da Bahia,email wellgtonfaria@hotmail.com

fabio dandolini disse...

ola gostei muito dessas dicas vou utilisalas para sempre enquanto estiver galo combatente,vlw!!!

Anônimo disse...

Tylan e bom ate pala cripe

Tiago ArteRio disse...

o meu galo ficou sego depois de colar pra brigar.e ele ta com um desanimo fica nunha sonolençia ta comendo bebendo agua mais ele nao canta mais oque eu faço min ajudem pessoal